Quer dizer? Não diga

Imagem
A última pergunta de José Serra nas eleições presidenciais foi sobre tarifa do ônibus. Pois é, os debates são suma importância nacional. Ninguém previu que 30 centavos sobre a tarifa do ônibus iriam transformar o Brasil durante meses, sendo assunto internacional, anos depois. Pelo contrário, criticaram duramente o candidato; diziam que era incompetente por fazer uma pergunta dessas como desfecho, e até ligaram o fato dele ter se declarado como ‘verdadeiro sucessor de Lula’ nas eleições de 2010 contra Dilma, uma candidata desconhecida e até “ficha-suja” por assaltar banco na baixada santista, para vincular uma má imagem ao ex-presidente da União Nacional de Estudantes, que classificou, no dia da revolução de 1964, como um golpe de “tudo que há de mais reacionário” que “utilizava seus privilégios da religião”, mas que tinham alguns religiosos bons, todos os defendidos por Serra eram coincidentemente padres comunistas. Mas fazer o quê?
Ele se regenerou, tocados pelo teor da Petrobrás e da posição contra o aborto não restavam dúvidas: Serra virou direitista.
Imagem
Que tem ele de direitista ninguém sabe; que tentar passar o PSDB como direita pra manter o PT como esquerda nacional foi muito grosseiro para com a inteligência nacional todo mundo sabe. Mas o tempo passou e o PSDB aprendeu que o candidato moderado, que sempre aparece falando em tom administrativo, sem exageros, café-com-leite, é que é o cacique.
O Brasil aprendeu que a importância que o importante dá sempre importuna, não importando o cazzo.
Imagem
O PT não aprendeu porque é aluno da rede pública.
Inclusive foi classificado pela esquerda como direitista. É. o PT nos traiu.
Imagem
Nos velejos que levaram os bilhões do BNDES para os bancos africanos, para as estradas da Bolívia, para o porto de Cuba, para a eleição do Hugo Cháves e pro papel higiênico do Maduro, pros 6 bilhões do Eike Batista, aos poços de petróleo privatizados (quer dizer, é bem diferente de privatização) que por não ser do pré-sal ficaram bem salgados, Imagempelos tantos passeios presidenciais que eram pra garantir o Nobel do Lula e acabou indo pro Obama que entrou em guerra com a Líbia, pelo trem-bala norte-sul que saiu de espoleta, pela obra do Rio São Francisco que na reunião episcopal decidiram que milagre vaticano do São Chico -o Bento- da alemanha ou São Francisco -o Chico- da argentina é só pro São Lorenzo, pra ferida corrupta que conseguiu ficar semi-aberta mesmo infeccionada, pra cadeira na ONU que colocaram os soldados brasileiros no Haiti e ninguém mais lembra deles, pra Polícia Federal e a Civil que estão doidos pra se unirem com a Força Nacional e acabar com a última boa polícia desse país que é a militar, pros intelectuais da ditadura que parecem que eram só propagandistas e esgotou, quer dizer, o sistema capitalista não está dando muitos milhões suficientes pelas leis federais -surgiu até uma tal de ‘liberdade de expressão’ com as biografias. parece que eles não estavam muito felizes em perder dinheiro. acho que esta não foi contradição, quer dizer, quem defende liberdade acima de tudo no regime não precisa exigir liberdade quando falamos em dinheiro pessoal-, pras comissões convocatórias de velhinhos militares para colocá-los em posição de bode expiatório midiático para salientar o que representa a luta do Partido dos Trabalhadores, pras associações esquerdistas que tentam se passar como nacionalistas pra ganhar mais verba do ministério da cultura e concertar patrocinado pelos impostos (como disse o Ney Matogrosso na entrevista em Portugal recentemente, o problema de gastos está apenas nos milhões da corrupção e no mal atendimento, reclamar dos bilhões da lei Rouanet e das indenizações da bolsa-ditadura é ser saudosista do regime), pras passeatas populares que fugiram do controle (e como todo mundo sabe, o que não tem investimento público é alienação burguesa sem conserto), pros BlackBlocks e pra inúmeros outras facções que conseguiram inserir na mídia o domínio do senso comum sem um único motivo para controlar além da domação, pras invasões bárbaras de tudo o que é permanente e apresenta risco de automação, pra boçalidade dos que figuram o que acontece culpando quem está mais perto pra não ter de olhar mais longe -mantendo assim afastada a iniciativa de ter de tomar a posição corajosa de impor a verdade, e, obviamente ter de admitir que fizeram muito mal em combater o governo militar-, pra tampar aquela jornalista que foi censurada até após as eleições (porque os tais que defendem a democracia resolveram não virar o país de cabeça-pra-baixo pela censura que o governo impôs pra ela -quer dizer, somente existe censura quando são aqueles ‘loucos dos militares que não gostam de ver ninguém feliz e odeiam a liberdade’. não quando se repete a história, da censura de JK para Carlos Lacerda-Imagem sem se esquecer de quando aparecer alguém falando sobre a censura programada para taxá-lo como louco conspiracionista e negar sua existência enquanto rogam louvores à mediocridade demagógica democrata NeyMatista, pra quando a censura de fato vir a ordem para toda a categoria jornalística seja que ninguém defenda o justo porque será a prova que estarão defendendo o que outrora patetizavam como conspiração, pra humilhar tudo aquilo que não é esquerdista e pro ódio contra tudo aquilo que for conservador em qualquer setor existente, pro jogo de querer colocar a roupa conservadora em qualquer um antes que apareça alguém de fato e a tome, pros “conservadores” de hoje que são liberais socializadores, pras propagandas do ex-presidente que ninguém mais liga como “a mídia precisa ser regulada porque não aguento mais chegar em casa e ver que só passam violência no programa policial” e “devemos fazer com que apenas o governo banque todas as despesas dos partidos políticos”, pro casal de presidentes que apenas os dois gastaram em amor juntinho 16 bilhões em doze anos de Propaganda federal, pras organizações terroristas que desorganizam a sociedade sem que ninguém queira acabar com elas se não exigirem pelos seus palanques que o ladrão se renda enquanto cobra dos policiais militares menos violência e mais ação contra os bandidos armados sem se dar conta de qualquer contradição, pro lugar onde o entretenimento é réplica do vazio estrangeiro e se tornou parte da consciência coletiva, pro popular que virou demagógico, pra aquele comercial que nega a realidade para saudar um passado que não é citada a data de causa; mas não pros galhos no chão que restaram. Estes merecem ser pisados e jogados na fogueira.

Realmente não podemos voltar atrás de todas as conquistas do governo militar, quer dizer, do governo Itamar Franco, quer dizer, do PT.
Mas podemos preparar terreno pra voltarmos com o debate entre como o PT e o PSDB se completam: que, um rouba o mérito do outro, mas os dois “são necessários” para o país apenas transando os governos.
Assim podemos então apostar na nova e única oposição esquerdista de Marina/Eduardo. Até porque dois cabeças do partido dos trabalhadores são realmente um novo setor pensante e totalmente diferente do PT. Até porque foi demonstrado no seu estatuto de fundação do partido, a estatização dos meios de produção e a oposição contra tudo aquilo que estiver nascendo com ideal contrário ao regime petista.
Estes aqui podemos confiar pra serem os novos, ou podemos ficar com o PSDB mesmo. Quer dizer, os movimentos já estão instalados e a até alguns novos foram criados ano passado. Atrasar em quinze anos o que era pra ser trinta é ainda vantajoso.
Que mal faz um caos sindical aqui, outro ali? Quer dizer, como Antonio Candido diz, a esquerda estava presente até quando acabaram com a escravidão; a criação dos sindicatos assim também é obra da esquerda, e suas ações somente podem ser julgadas pela própria esquerda. Quanto a você, fique indignado, é pra isso que serve a democracia. Mas não tome nenhuma ação, porque isso não é democrático. Quer dizer, os únicos que podem exercer o direito democrático são os que lutam contra a burguesia; porque se perderem a luta, a família será premiada com bolsa-algumacoisa. Quer dizer? Não diga.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s